segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Morre Champignon

Eram 7 horas da manhã e sons de helicópteros se ouvia. Meu Zeus estava realmente assustado. Já estava atrasada, vim pra firma, aqui na Rua Dr. Luiz Migliano, onde o músico Champignon faleceu esta madrugada, soube que foi suicídio. É o que estão dizendo: suicídio. Acho tão difícil imaginar que aos 35 anos uma pessoa que estava a poucos meses de segurar seu filho nos braços escolha a morte como opção. Aí especulo: falência, traição, o que poderá ser? Em uma reportagem, li que ele justificou a morte de seu amigo como "a perda da fé". Depressão mata, fato. O cara tinha voltado de um jantar com os amigos! Tipo... não estava jogado na cama vendo tv e deu um disparo irracional em si mesmo, sabe?
Quando era adolescente tinha crises bem fortes de depressão. Tentei suicídio uma vez. Ingeri duas caixas de lexotan tarja preta que a minha mãe tomava. Fiquei meses em estado de hibernação. Tive de parar os estudos porque não consegui acompanhar de tão xarope que estava. Naquela época, tudo era muito intenso, sabe? Pô... adolescente! Total emoção. Meu pai tinha sofrido um acidente de moto, ficou dois anos na cama. Minha casa virou uma loucura. Não tinha mais segurança em lugar nenhum. Aquilo me apavorou, já era apavorada, cheia de conflito, lia muito, sofria muito, qualquer discussão familiar soava como um grande agudo irritante, nossa... zoava meu alinhamento. Equilíbrio nunca tive. Com a maturidade escolhi vivenciar a racionalidade e evitar sentimentos de dependência. Confesso que me programo o tempo todo. Não ando muito com as mesmas pessoas porque me apego demais e sinto muita falta quando elas/eles se vão, então prefiro uma experiência mais presente, sem grandes expectativas, isso me faz feliz. Hoje me considero menos cheia de colapsos, mais plena nos segundos que a vida me dá. Acho que aprendi a fazer boas escolhas. Champignon não teve esta oportunidade, o tiro foi certeiro.

4 comentários:

Carolina Guimarães disse...

Vã, vc é uma luz na minha vida e mtas vezes o labirinto que vivo na minha alma, vc transcende em luz o meu viver.
Esplêndido!!!!!

Carolina Guimarães disse...

Vã, vc é esplendor puro, consegue com suas palavras narrar a dor alheia, na verdade a depressão faz parte do ser humano. Algumas pessoas conseguem viver na luz e outras nas sombras, em seu viver interior existem várias faces de um dia alegre e feliz mas, também de um dia tenebroso. O que passa na mente de uma pessoa tirar a própria vida? Não sei pois, a mente é um enigma que jamais será descoberto na sua totalidade.

celsofritz disse...

Não me cabe julgar o que leva uma pessoa a fazer isso. Mas enfim, que Deus tenha misericórdia, e de força para essa família.

Ingrid disse...

Pena... A vida vale a pena sempre..
Amo você ..
Beijoss